segunda-feira, 14 de julho de 2008

Costa Nova do Prado

A Costa Nova do Prado é uma praia da cidade de Ílhavo, Distrito de Aveiro.
Em Ílhavo nasceu Mário Castrim que além de jornalista foi também escritor. A seguir ao seu poema "Aquele Palheiro", refiro um resumo muito sucinto da sua biografia.






Aquele Palheiro


Aquele palheiro
às riscas verticais
que aparece em todos
os bilhetes postais
da Costa Nova
era o nosso palheiro.

O vento entrava por todas as frinchas
e os passos
e as vozes
e o mar
era tudo tão próximo tudo tão em família.

Quele palheiro
do bilhete-postal
da Costa Nova

(Mário Castrim)

Admiro este poema, pela sua simplicidade, mas muito real. Há muitos anos, quando eu era criança, os palheiros da Costa Nova não eram revestidos em alvenaria de tijolo, no seu interior, como são hoje, deixando passar o ar (frio, vento, calor), o som, etc.

Muitos pescadores viviam com as suas famílias nesses palheiros e andavam descalços.


Mário Castrim (pseudónimo de Manuel Nunes da Fonseca) nasceu em Ílhavo, em 1920, e morreu em Lisboa, em Outubro de 2002.
Professor, escritor e jornalista, fez crítica de televisão diária, desde 1965, no Diário de Lisboa. Depois do encerramento deste jornal, em 1990, passou a assinar a crítica de televisão no semanário Tal & Qual.
Em 1963 criou, com Augusto da Costa Dias, o Diário de Lisboa – Juvenil, que sempre considerou a sua obra mais importante.
Escreveu ainda vários livros infantis e juvenis.
Está representado em diversas antologias, nomeadamente, "Um Homem na Cidade", de 1968, que reuniu crónicas de dez jornalistas do Diário de Lisboa.
etc. etc.

Haveria muito mais a dizer deste homem simples, mas de grande valor, também porque lutou pela liberdade, como se costuma dizer "não tinha papas na língua" .

Esta é a minha humilde homenagem a Mário Castrim, porque gostava da sua forma de escrever e não perdia as crónicas que publicava no jornal.

Antigamente a Ria de Aveiro (Canal de Mira) existia nesta zona ajardinada. Depois das dragagens a Ria ficou muito afastada.
Nesta foto dá para imaginar onde existia a Ria. Era a partir do local onde foram plantadas estas palmeiras.
Esta bela casinha às riscas é uma das minhas preferidas. O proprietário foi muito simpático comigo até me deixou fotografar uma das janelas, tendo-me aberto o portão, quando viu que eu estava com dificuldade em fazer a imagem. lol
Esta das riscas amarelas, realça muito no meio das outras, de cores mais fortes.

Este papagaio estava a apanhar Sol. Meti-me com ele, mas não me ligou, lol

A marina do Clube de Vela Costa Nova.


Esta casinha tem um beiral muito rendilhado, e bonito.


A minha janela preferida, com as petúnias e as sardinheiras de várias cores.


Estas casinhas são do Clube de Vela.


O imenso mar que adoro. Neste dia apesar da bandeira amarela, deu para me molhar, lol

O video a seguir é dedicado aos meus "piminhos" lindos David e Micael, por quem tenho grande amizade e porque ambos praticam surf há muitos anos.

Antes do início da época balnear o Micael obteve a certificação de nadador-salvador, estando já a exercer, seguindo o exemplo do David que durante muitas épocas balneares vigiou e efectuou muitos salvamentos, na Barra, a praia mais a norte da Costa Nova, em situações bastante arriscadas, e que foram tema de notícia.

Aproveito para desejar muito boa sorte ao Micael e enviar para ambos dois beijinhos grandes.



2 comentários:

Teresa Calcao disse...

Ola minha doce amiga,
Deliciei-me com esta bela reportagem.....que regiao tao linda, a nossa!!!!!!!
Beijinhos,

Ana disse...

Obrigada amiga eu sabia que ias gostar. Está muito linda a nossa Costa Nova.
Vais ficar admirada com o nosso Forte da Barra, está a ficar um espectáculo, nem imaginas!
No fim faço uma reportagem para veres, estão mesmo a ultimar os trabalhos de jardinagem.
Espero ainda tirar algumas fotos, antes de ir de férias.
Beijinhos grandes