terça-feira, 18 de novembro de 2008

NATUREZA...


Estas fotografias foram tiradas pelo meu sobrinho, junto à Fábrica de Porcelanas da Vista-Alegre, e os cavalos pertenciam a um Circo que fez alguns espectáculos no recinto das feiras.


Do vale à montanha

Do vale à montanha,
Da montanha ao monte,
cavalo de sombra,
Cavaleiro monge,
Por casas, por prados,
Por Quinta e por fonte,
Caminhais aliados.

Do vale à montanha,
Da montanha ao monte,
Cavalo de sombra,
Cavaleiro monge
Por penhascos pretos,
Atrás e defronte,
Caminhais secretos.

Do vale à montanha,
Da montanha ao monte,
Cavalo de sombra,
Cavaleiro monge,
Por quanto é sem fim,
Sem ninguém que o conte,
Caminhais em mim.

Fernando Pessoa

3 comentários:

O Repórter Alentejano disse...

Do vale à montanha,
Da montanha ao monte,
Cavalo de sombra,
Cavaleiro monge,
Pelo espaço sem fim,
Construí a ponte.
Da amizade para ti em mim.

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Ana... Maravilhoso Poema... Grata por o postares... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Liar disse...

OLá Guga Kida!

Adoro Fernando Pessoa, e foi muito bom reler este poema.

Bjinho

Céci