quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Flor que não dura



Flor que não Dura

Flor que não dura
Mais do que a sombra dum momento
Tua frescura
Persiste no meu pensamento.

Não te perdi
No que sou eu,
Só nunca mais, ó flor, te vi
Onde não sou senão a terra e o céu.

Fernando Pessoa

4 comentários:

Espaço do João disse...

Olá Ana. Há flores que duram menosdo que essa. Eu tenho um cato que dá flor´e, só abre à noite. No outo dia começa a morrer e não abre mais. Quanto ás coroas de natal, é sol de pouca dura, porque logo que venha uma geada elas morrem. Abraço João

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Ana Paula, belíssimas flores e maravilhosas palavras... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

O Repórter Alentejano disse...

Como diria o Vasco Santana nessas comédias que não mais se apagarão das nossas memórias, "compreendi-te!"
... Mas diria que o Ti Pessoa até tinha a sua razão ao escrever este poema...
Baijõmhe.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Ana Paula, desejo-te um maravilhoso fim de semana... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha