domingo, 4 de janeiro de 2009

AZULEJOS - POEMA DE AMOR







Painéis de Azulejos da Estação de Comboios de Aveiro com motivos regionais (Ria de Aveiro e suas gentes).
É um poema de amor.
Começa num sorriso promissor
E acaba num soluço
De saudade.
Entre essas duas margens,
Um rio de silêncio.
Um rio largo, onde se espelha, baça,
A paisagem severa de uma vida,
A que faltou a graça
Dessa remota hora repetida.
Miguel Torga (Diário XIII)

13 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Ana, adoro Aveiro é uma Cidade muito bonita... Já fiz a ria a bordo do barco e nunca me canso daquelas vistas maravilhosas... Vi alguns desses azuleijos belíssimos... Obrigada Amiga por nos mostrares painéis maravilhosos... Um grande abraço de carinho,
Fernandinha

O Repórter Alentejano disse...

A primeira coisa que fiz assim que cheguei a Aveiro foi bater foto à estação de caminhos-de-ferro, ao edifício antigo, entenda-se. Azar do camandro, não tinha grande-angular, e o dito edifício não havia meio de me caber na másquina por mais voltas que desse! (Não, não experimentei fazer o pino, porque depois não conseguiria fazer funcionar a másquina).
Vai daí, com o barulho das luzes, acabei por me esquecer dos azulejos, forma de arte tão frequente em gerações anteriores na arquitectura ferroviária.
Bem, mas como todos os cães têm sorte, eis senão quando uma mocita aí da terra tirou a respectiva másquina da bolsa da terceira camada de prateleiras da 59.ª secção do lado direito da mala de senhora que delicadamente transportava ao ombro sem receio de assaltos (às tantas esqueceu-se que Aveiro vem no Mapa das Estradas de Portugal...), e vira milho! Não uma, não duas, não três, mas sim oito excelentes fotos com uma bela cor e uma óptima definição duns belos painéis de azulejos!
Acho apenas que devias ter mandado o flash recolher à respectiva casota pois ali fazia tanta falta como uma viola num enterro. Mas nada de grávido, quem não sabe também não vê.
E assim, aqui estou eu inchado que nem um peru a deliciar-me com este miminho tecnológico que com a tua sensibilidade única soubeste temperar de forma equilibrada e quiçá gulosa com este poema do nosso amigo infelizmente já falecido Adolfo Correia Rocha.
Ah! Meti água, canudo! A primeira coisa que fiz assim que cheguei a Aveiro foi descer do comboio!
Bêjos,
O Repórter Alentejano.

Marco Reis disse...

Também já lá estive.
Uma estação de comboios muito bem conservada, por sinal!
Aliás, Aveiro tem umas algumas zonas únicas no seu estilo. Em breve irei postar umas fotos que lá tirei na visita à cidade.
Cumps
Marco

Nuno de Sousa disse...

Lindas imagens e que belos azulejos tem essa estação que não conheço... um dia que passar por ai telefono-te e levas-me ai :-)
Bjs amiga e tem um bom dia,
Nuno

Teresa Calcao disse...

Recordacoes de um passado sempre presente......e as tuas fotos realca ainda mais a beleza da nossa cidade...obrigada!
Beijinho doce

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Ana, passei para deixar-te muitos beijinhos de boa noite Amiga,
Fernandinha

Helena Paixão disse...

Uma forma de arte bem portuguesa, embora não devidamente apreciada pela maioria dos lusitanos (em casa de ferreiro, espeto de pau).

Excelentes e belissimas fotos, de um alegre colorido.

Bjs

Liar disse...

Fotos lindas, assim como a tua cidade tão bonita,e o poema de amor adorei! ((*_*))

Bjinho
Céci

José Rasquinho disse...

A estação de Aveiro é, das que conheço, a que tem a mais bonita coleção de azuleijos!
Espero que a "REFER" (ou a CP, não sei) não faça com eles o que tem feito em tantas outras!
Se assim for, resta-nos olhar para bonitas fotografias deles, tiradas por pessoas como tu, que tiveram a sorte de ter oportunidade de os fotografar.
Quero agradecer as tuas visitas e as tuas, sempre amigas palavras, e dizer que, na verdade, já cá tens todos os links.
Um bom ano e que esse tal momento chegue rápido.
Bjinho.

Kafia disse...

Gosto Especialmente do ultimo azulejo.
Boa noite :9

Beijinhos e Volte sempre :D

Agulheta disse...

Olá Ana! Gosto de azulejos antigos,e tudo que seja arte e fotografia,sou um pouco autodidata! Me vejo assim,de Aveiro é uma cidade bonita,a vi pela primeira vez,andava na escola primária e fomos num passeio,e tenho boas recordações da ria,muito bonito,para não falar nos doces... uma perdição para a linha???.
Beijinho e bfs

Lisa

Kafia disse...

Alem de apreciar fotografia temos o mesmo escritor preferido :)

Obrigado pelo comentário
Beijinhos
Ana Sofia

Jorge Monteiro disse...

Olá
Que bela sequência de fotos...
Os azulejos são fantásticos, assim como as fotos.
Parabéns.
Beijinhos