segunda-feira, 9 de março de 2009

AVEIRO SEMPRE...






Aveiro sempre...

É a minha cidade, onde respiro, onde quero viver, onde passeio, onde o meu olhar vai registando pormenores, onde quero ser feliz!

De Cristina Fidalgo "Saudades" um texto muito bonito que escreveu em 21 de Setembro de 2007, num espaço chamado "Aveiro a mais Bela das Cidades" criado pelo meu amigo Ricky Silva.
Gostaria muito de ver um livro escrito pela Cristina, porque é uma jovem cheia de talento, tanto na prosa como na poesia.
Apesar de termos tido pouco contacto, revelou ser uma pessoa muito carinhosa, e disponível para ajudar. Um beijinho muito grande para ela.


Saudades...

Estou sentada neste canto como se numa página de um livro em branco, pleno de palavras ausentes escritas em tons de fogo. Debaixo dos meus pés, ainda descalços, sinto a força mágica de uma relva macia que rasga a terra húmida na urgência de sobreviver.
Ao meu redor é noite escura onde vagueiam ecos de gente feliz e restos de frio bordado de neblina mansa, perfumada de maresia. Adivinho veios de salitre nos olhos das vozes que se desgarram das ruas e se colam aos vidros das janelas do meu quarto.
Sinto cega, a noite, e absorta a lua nos reflexos adormentados das ondas entristecidas da ria. E pressinto a leveza do bailado das palmeiras ao som da brisa do fundo da cidade.

Fecho os olhos e abro serenamente a minha alma, janela virada para o mar, e pinto um farol no recanto mais profundo do teu olhar... e um fundo azul... e um abraço... e o sabor dos teus lábios. Guardo as tuas mãos nas minhas e entrego-te o meu sorriso...

De volta aos meus dedos, reparo que terei que inventar uma nova artéria, no meu peito, onde possa correr, livre, a seiva com que pintei este quadro que não cabe nos contornos de uma simples página de um livro em branco, pleno de palavras ausentes, escritas em tons de fogo a que simplesmente dei o nome de "saudades".

Cris (Sussurros fora do Tempo)

10 comentários:

ลndreia disse...

Tenho muito boas recordações dessa cidade! Posso dizer que já fui muito feliz aí!
Tenho que marcar o regresso para breve ;)

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA ANA, MARAVILHOSO TEXTO POÉTICO... DE FACTO AVEIRO É UMA LINDA CIDADE... O POEMA BELÍSSIMO,
UM ABRAÇO DE CAROINHO E TERBNURA,
FERNANDINHA

JOSÉ NEVES disse...

Olá amiga
Antes de mais o meu sincero agradecimento pelas tuas palavras de incentivo no último post que publiquei no meu blog, um bem haja.
Quanto às tuas imagens como sempre são lindíssimas, gosto muito da maneira como captas a beleza dos cantos e recantos dessa fantástica terra que é Aveiro.
Continua sempre a partilhar com todos nós essa tua paixão fotográfica.

Um grande beijinho com amizade.

susaninha disse...

Olá, obrigada por passar no meu cantinho, espero que tenha gostado, eu aqui gostei.

Beijos

Agulheta disse...

Ana! Muito lindo o texto aqui plublicado,e vejo que neste país muitos talentos andam esquecidos? ainda bem que os blogs promovem os poetas e os não poetas mas que tem uma escrita linda de se ler.As fotos dignos de um bom fotografo,não sei se foste tu ou não,mas adorei pois gosto muito de fotografia.Que mais direi? que gosto da amiga por tudo que ela é,simples e amiga.
Beijinho fica bem

Lisa

Kafia disse...

Estive para ir para a universidade de Aveiro... mas preferi ficar por ca :)
São lindas as fotos! Mas o q "é nosso" é sempre melhor :P Meu rico São Miguel..

Sim Nita... Finalmente já cheira a primavera :D

Persida disse...

Amiga Ana, uma vez mais venho com a finalidade de te agradeçer a tua simpatia. Gosto do teu blog ele é muito bem feito e com muito gosto, gosto das photos que tens que manobram d'um lado para outro em rotação na tua primeira página, é bem interessante e bonito o efeito que faz. Gostaria de saber como o fizestes, se caso podes-me dar o segredo amiga.
Recebe meus abraços.
Persida Silva

Multiolhares disse...

É linda a tua cidade, conheço bem,
e sabe tão bem descobrir os seus recantos
Bj

José Rasquinho disse...

Um lindo texto, sem dúvida!
As fotos também são lindas, e têm a marca de quem as faz com o coração!
Um bjinho amiga, e desculpa a ausência, mas tive um problema com o pc (foi à vida e teve que ser substituído, com tudo o que isso implica).
Vou ver se agora consigo por as coisas em dia.
Dá também cumprimentos meus ao amigo Simões.

poetaeusou . . . disse...

*
Belas imagens, ana
Vou de surpresa em surpresa,
,
Aveiro dos meus avoengos
,
Quem me dera enterrado junto ao cais
na tumba da maré da eternidade,
onde vive o Aveiro e a saudade,
a beleza infinita dos canais!
E nessa sepultura ser arrais
do barco ancestral desta cidade,
onde mora a raiz da Liberdade,
semeada por vozes imortais!
Então nesse recanto do Rossio,
onde o amor nasceu, e ali ouviu
o murmurar da água na muralha,
quem me dera morrer de maresia,
e na urna embalada pela ria,
vestirem-me de sal, como mortalha!
,
In-amadeu de Sousa
,
bem-hajas, amiga,
conchinhas de sal fino, deixo,
,
*