domingo, 17 de maio de 2009

RIA DE AVEIRO UM PASSEIO ATÉ AO CAIS DO BICO














SOL DE AVEIRO


Sol d`Aveiro, Sol d`Aveiro,
Indeciso e preguiçoso,
Imprevisto e passageiro,
Prateado e duvidoso.

Fazes-me lembrar alguém
De quem eu gosto de mais,
E jura que me quer bem
Sem me dar provas reais.

Tanto vem como desanda
Sem razão que satisfaça;
Anda sempre noutra banda
Raramente por mim passa.

Assim é o Sol d`Inverno
Sol d`Aveiro fugidio,
Duvidoso, embora terno,
E no qual tanto confio.

(Um poeta de Esmoriz)
António Maria Ferreira da Silva

11 comentários:

Liar disse...

Eu já nem sei o que dizer! Não queria repetir-me, mas não consigo estar no pc sem visitar-te, e então cada dia fico mais encantada com o teu blogue.

Guga eu acho que tudo que postas e com um sentimento tão grande, que passa para quem te lê ou vê. Olha n sei o que dizer mais, a não ser que é uma honra ser tua amiga.

Beijo e Xi muito grande

Céci

Céu Vieira disse...

Olá meu bem, boa tarde!

Eu concordo com a Céci, também acontece comigo, não posso estar no pc sem vir aqui, é visita obrigatória. ´
As tuas fotos, mais uma vez, estão fantásticas! Tu sabes fotografar!
O poema também é muito bonito, só que hoje o sol de Aveiro pregou-nos uma partida, só apareceu agora pela (volta da noite)...! Mas eu vou guardar este poema, parabéns ao seu autor e a ti também amiguinha pelas coisas bonitas que partilhas connosco!
Beijinhos e abraços grandes

Multiolhares disse...

Para ti amiga

Aveiro cidade linda
Com sua Ria sem Igual
Fotografado com os olhos da Ana
E mostrado a Portugal

beijinhos

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA ANA, MARAVILHOSAS FOTOS... SIMPLESMENTE SUBLIMES AMIGA!!!
ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

poetaeusou . . . disse...

*
Meia-noite ria abaixo
Lá vai lesto o moliceiro
Vai retratando nas águas
As saudades do barqueiro
Nas noites em que há luar
Quando passas moliceiro
És das coisas mais bonitas
Que tem a ria de Aveiro
,
in-imaginário aveirense
,
conchinhas serenas, deixo,
,
*

Espaço do João disse...

A Amália Rodrigues cantava " Eu hei-de ir a Viana" eu digo:- Ainda voltarei a Aveiro.
Quanto á celebérrima flor, eu não sei se é venenosa ou não, mas penso que não deve ser erva que se cheire, visto seu perfume ter um odor a carne podre. No entanto não deixa de ser bonita. Dura pouco tempo e, quer a flor quer a planta está a secar, ficando unicamente o bolbo na terra. Claro que quem tem crianças deve ter todos os cuidados , pois sabemos que levam tudo á boca. Um beijo amigo. João

Céu Vieira disse...

Que engraçado este poema do poetaeusou!

José Rasquinho disse...

O doce encanto da vida e da paisagem da borda-´d'água!!!
Um passeio para descontrir e para conseguir estas bonitas imagens!
Bjinho.

Anónimo disse...

olá amiga paula pois que mais direi do que já foi dito pelos outros teus amigos estou sem palavras está tudo lindo mesmo tu já te falei sabes mais do que eu bjs e as rápidas melhoras olha que ainda te falta fotografar a serra da freita com as flores de carqueja, e as malvas, mas só depois mesmo as tuas imagens para descrever tanta beleza natural como tu és mas adorei estas fotos do bico da murtosa, com as cegonhas, lindas sem igual.

Anónimo disse...

Muito bom,Paula..Parabens...

Anónimo disse...

o anonimo sou eu...Fernando Dias